Prefeito assina contrato para segunda fase do Programa Via Iluminada

45167da7dac23675effa

Doze bairros com cerca de 9 mil residências e 35 mil moradores terão lâmpadas amarelas substituídas por LED; investimento será de R$ 5 milhões

A modernização da iluminação pública em São João da Boa Vista prossegue com a troca de lâmpadas amarelas de vapor de sódio por luminárias de LED.

O prefeito Vanderlei Borges de Carvalho assinou, nesta sexta-feira (20), com o Banco do Brasil, uma operação de crédito de R$ 5 milhões para a execução da segunda fase do Programa Via Iluminada.

Nesta etapa, 12 bairros que concentram cerca de 9 mil residências e aproximadamente 35 mil moradores, serão beneficiados: Santo Antonio, Recanto do Jaguari, Vila Primeiro de Maio, Durval Nicolau (três etapas), Nossa Senhora de Fátima, Novo Horizonte, Jardim Santa Rita, Jardim Santa Isabel, Vila Conrado, São Benedito, DER e Vila Brasil.

Além destes bairros, o programa abrangerá parte da região central e o entorno dos piscinões da Vila Brasil e Recanto do Lago. Também serão eliminados pontos escuros no Jardim das Hortênsias, Jardim das Azaleias, Avenida Durval Nicolau e imediações do Fórum de Justiça.

Segundo cálculos do Departamento de Gestão e Planejamento Urbano, responsável pela supervisão do projeto, o Via Iluminada substituirá perto de 20% de toda a rede de iluminação pública da cidade, com a instalação de mais de 2.500 luminárias de LED.

“Estamos dando um grande passo na renovação da iluminação pública em São João. Ruas bem iluminadas ajudam a aumentar a sensação de segurança e melhoram a qualidade de vida das pessoas”, afirmou Vanderlei.

Outro aspecto destacado pelo prefeito é a economia que as novas lâmpadas proporcionam. “Haverá   melhora significativa na luminosidade e, além disso, as luminárias de LED reduzem em 30% o consumo de energia em relação às lâmpadas amarelas e têm vida útil de 13 anos, sem perda de eficiência”, explicou.

A assinatura do contrato foi realizada no Salão Nobre do Gabinete do Prefeito e contou com a presença do gerente-geral do Banco do Brasil em São João da Boa Vista, Sander da Silveira; do superintendente regional Gustavo Milaré;  do vereador Antonio Aparecido da Silva (Titi), representando o presidente da Câmara Municipal Gerson Araújo; dos diretores de departamentos da Prefeitura, Natália Domenciano (Finanças), Júlio Lino (Gestão e Planejamento Urbano), Lúcio Doval (Saúde) e José Carlos Dória (Chefe de Gabinete).

Anúncios

UNIFAE REVELA CRISE NA SANTA CASA E APONTA MEDIDAS URGENTES

LEILÃO-EM-PROL-DA-SANTA-CASA-UNIFAE

A UNIFAE apresentou nesta quinta, (19), aos parceiros do Convênio de Gestão da Santa Casa, Prefeitura Municipal e Mesa Diretora da Irmandade, o diagnóstico administrativo e financeiro dos três meses que a instituição está à frente do hospital.

O balanço que revelou diversos problemas nos processos de controle administrativo, também apontou um déficit mensal médio superior a R$ 1 milhão de reais. Números que projetam mais de R$ 12 milhões de reais de déficit para 2018.

Dados do Diagnóstico Financeiro
Déficit de janeiro R$ 819.841,19
Déficit de fevereiro R$ 1.129,957,56
*Déficit de março R$ 1.073.019,73
Total de três meses R$ 3.022.818,39
Média do déficit mensal R$ 1.007.606,13
Previsão anual do déficit R$ 12.091.273,56

 

Entre os dados apurados, o diagnóstico aponta que a população de São João é a maior usuária do SUS, Sistema único de Saúde nos procedimentos de média e alta complexidade e que o repasse de verbas da Prefeitura não é suficiente para cobrir as despesas.

No aspecto da regionalização, o balanço mostra ainda que 8.787 pessoas vindas de mais de vinte cidades da região foram atendidas nestes três meses. Com exceção de Aguai, os outros municípios devem hoje mais de R$ 1. 600 mil reais para a Santa Casa.

Nesta etapa do diagnóstico, foram sistematizados apenas os dados referentes ao SUS. Os dados sobre os Planos de Saúde estão sendo finalizados, mas indicam a necessidade de análise e discussão com os gestores dos planos.

Medidas urgentes

Diante do diagnóstico e da necessidade, urgente, de estabelecer um fluxo de caixa e um equilíbrio entre as receitas e despesas, UNIFAE, Prefeitura e Mesa Diretora decidiram, em conjunto:

  • Revisar todos os contratos de serviços terceirizados. Os prestadores devem procurar a Direção do Hospital no prazo de 15 dias
  • Análise e discussão com os Planos de Saúde
  • Venda da parte que cabe ao hospital da Fazenda Lagoa Formosa
  • Cobrança do repasse dos municípios que integram a Regionalização.
  • Estudo de cortes e outras ações administrativas
  • Capacitação e treinamento dos colaboradores
  • Transformação em Hospital Escola

Entre outras ações, UNIFAE e Prefeitura, por meio do Departamento de Saúde, vão discutir alterações no Plano Operativo de 2019, que define os repasses da Administração para a Santa Casa. Os valores deste ano, já estão comprometidos no limite legal, segundo a Prefeitura.

Até o momento, a UNIFAE já repassou para a Santa Casa, mais de R$ 2 milhões como mostra a tabela abaixo.

Demonstrativo de Repasse UNIFAE 2018 – Santa Casa
Item UNIFAE Já repassado
Plano Operativo 1 R$ 1.600.000,00 R$ 1.600.000,00
Plano Operativo 2 R$ 2.400.000,00
Reforma UTI e CC R$ 2.000.000,00
Repasse do IR – 1 R$ 1.100.000,00 R$ 400.000,00
Repasse do IR – 2 R$ 2.800.000,00 R$ 550.000,00
Total R$ 9.900.000,00 R$ 2.550.000,00

 

Prestação de contas completa no site da Unifae.

Comissão de Ética decide arquivar denúncia contra vereador Betti

29543021_2119451948070367_365033588179398279_n

Veja o relatório de arquivamento. A Comissão entendeu que o vereador não cometeu infração em sua viagem à Itália.

COMISSÃO DE ÉTICA E DECORO PARLAMENTAR

RELATÓRIO DE ARQUIVAMENTO

Com fundamento nos arts. 43, V, 47-A, 92 e 108 do Regimento Interno da Câmara Municipal e art. 15 da Resolução n.º 01/2.011, vimos, tendo em vista o recebimento de denúncia na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, encaminhar à Mesa o presente relatório e, ao final, opinar pelo arquivamento para fins de deliberação do Plenário:

Na data de 15 (quinze) de março foi protocolada denúncia na Câmara Municipal pelo vereador Leonildes Chaves Júnior – PHS e a ex-vereadora Elenice Imaculada Vidolin na qual acusam o vereador Fernando Bonareti Betti – PDT da prática de ato de improbidade administrativa, bem como de quebra de decoto parlamentar, conforme disposições da Lei Federal n.º 8.429/1.992 e do Decreto-Lei Federal n.º 201/1.967 que trata da responsabilidade dos prefeitos e vereadores, requerendo, ao final, sua cassação.
Narra a peça inaugural, em síntese, que o vereador Fernando Betti obteve licença compreendida entre os dias 10 (dez) a 20 (vinte) de julho de 2.017 para representar o município no Senado Italiano, recebendo a quantia de R$ 2.115,00 (dois mil, cento e quinze reais) equivalente a duas sessões em razão de sua ausência, conforme Resolução n.º 09/2.017 e demais documentos anexados, além do recebimento pelo Sr. Luis Antônio Moretto, seu suplente, da quantia de R$ 2.115,00 (dois mil, cento e quinze reais) equivalente a duas sessões.

Após o retorno, conforme noticiado, o vereador ora acusado prestou informações da referida viagem e dos resultados obtidos com a representação parlamentar à ex-vereadora Elenice, conforme Of. Gab. 153/2.017 acostado, relatando que participou de reuniões no anexo do Senado Italiano para discutir intercâmbios universitários, mesmo sem apresentar documentos hábeis a provar o alegado, tais como declarações, fotografias etc.

Além disso, alegaram os denunciantes que há fortes indícios de utilização, pelo vereador denunciado, da viagem de representação à Itália para tratar de assuntos particulares, ou seja, captar material para a elaboração do trabalho de conclusão de curso de Jornalismo do UNIFAE, pois há imagens e concessão de entrevista com as informações obtidas na mesma época, no mesmo país visitado e com as mesmas pessoas que o acompanharam, consoante mídia audiovisual anexa.

Deliberada a denúncia na sessão ordinária no dia 19 (dezenove) de março e, consequentemente, remetida à Comissão de Ética, conforme o disposto na Resolução n.º 01/2.011, para fins de análise e tomada das medidas previstas no art. 15, foi designada audiência para o dia 28 (vinte e oito) de março a fim de colher os devidos esclarecimentos por parte do denunciado.
No transcorrer da audiência, na qual foi realizada com a presença dos membros componentes, demais servidores da Casa, o vereador Fernando, juntamente com sua advogada, foi indagado sobre a denúncia apresentada, o que, em sua defesa, esclareceu o seguinte:

a)      O trabalho de conclusão de curso foi feito através de recursos próprios, o que não se confunde com a representação na Itália
b)      Que recebeu ofício do Senador Italiano, Sr. Fausto Longo, para representar o município no exterior
c)      Que não tinha a obrigação de prestar contas, pois não lhe foi exigido pela resolução aprovada
d)      As fotografias tiradas da viagem confirmam sua representação e regularidade
e)      Em decorrência da viagem à Itália, proporcionou a visita do Senador Italiano em São João da Boa Vista para tratar de intercâmbio com a UNIFAE, o que foi exposto através de palestra.

Encerrada a audiência, conforme a lavratura da ata e assinatura dos presentes, deliberaram os componentes da Comissão de Ética em arquivar a denúncia proposta contra o vereador Fernando Betti, nos termos do art. 15 da Resolução n.º 01/2.011.
É a síntese do necessário.

Após a análise da documentação juntada e o depoimento prestado pelo ora denunciado, é de se concluir que não há elementos para a instauração de processo disciplinar em contraditório para fins de apuração e aplicação de eventuais penalidades.
Tal afirmativa se fundamenta no fato de que a Resolução n.º 09/2.017 aprovada pelo próprio Plenário nada dispôs em seu conteúdo sobre a prestação de contas após a viagem de representação, o que torna, em nosso entender, dispensável por parte do vereador Fernando.

Tanto é correto o entendimento que nenhum vereador da Casa apresentou requerimento ou ofício cujo objeto fosse a prestação de contas da viagem de representação, vindo a ocorrer tal iniciativa apenas com o pedido da ex-vereadora Elenice no final do ano.
Ademais, o vereador denunciado não se negou a fornecer as informações a ex-vereadora, conforme respostas anexadas, mesmo que tenham sido, em seu entender, insuficientes, motivo esse que impede a configuração de ato de improbidade ou quebra de decoro parlamentar mesmo preliminarmente.

Lado outro, a licença aprovada através da Resolução n.º 09/2.017 foi instruída com a documentação necessária para tanto, inclusive ofício do parlamentar italiano, e cujo o art. 3º dispôs que &ldquoas despesas de viagem, estadia e alimentação, correrão por conta do Vereador licenciado&rdquo, mostrando-se que a Câmara Municipal não arcou com nenhuma despesa além da quantia concedida a título de licença.
Assim, considerando que o vereador se fez presente no Senado Italiano, juntamente com outras pessoas do município que laboram no UNIFAE, e desempenhou tratativas de interesse público com o parlamentar italiano, o que resultou na sua visita a São João da Boa Vista para proferir palestra, nada de irregular se constata quanto a posterior e eventual utilização de fotografias e vídeos em trabalho de conclusão de curso, conforme mídia anexa, pois a representação foi concluída e não há elementos que induzam a dizer que a viagem se deu exclusivamente para fins particulares com recursos arcados pelo erário.

Pelo exposto, e pela análise preliminar do caso apresentado, concluímos pelo ARQUIVAMENTO da presente denúncia para fins de deliberação do Plenário, visto que não há infrações constatadas pelo Código de Ética, conforme Resolução n.º 01/2.011.

São João da Boa Vista, 19 de abril de 2.018.

SEBASTIÃO NÉRIS
PRESIDENTE

RAIMUNDO RUI (RUI NOVA ONDA)
VICE-PRESIDENTE

JOSÉ EDUARDO DOS REIS
MEMBRO

Fonte: Parabrisa

Campanha do Agasalho 2018 é iniciada em São João

1578b16bc1456c1b38d615cbff16a546

A ação pretende arrecadar 70 mil peças de roupa até o final de julho

A Campanha do Agasalho 2018 foi lançada oficialmente na tarde de ontem, dia 16, no Salão Vermelho da Prefeitura. Estiveram presentes o prefeito Vanderlei Borges de Carvalho, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Solange Camargo Carvalho, a diretora municipal de Assistência Social, Eliane Rossi, e representantes de instituições parceiras na divulgação e execução da campanha.

“O Fundo Social é responsável por reunir os colaboradores e entregar o material de divulgação da campanha enviado pelo Governo do Estado de São Paulo”, explica a presidente Solange Carvalho. “Já temos um estoque com cerca de 20 mil peças para começar a distribuir imediatamente, afinal, o intuito da campanha é ajudar quem precisa o mais rápido possível”. Embora as doações possam ser feitas durante o ano todo, o encerramento da campanha será em 31 de julho.

“Esse ano foi decidido que a gente começaria mais cedo por conta da previsão de que o frio começaria antes”, conta a diretora Eliane Rossi. “Nossa expectativa é arrecadar 70 mil peças até o fim da campanha”.

Doações

Roupas e calçados doados são encaminhados para um centro de triagem, encarregado de avaliar se estão em bom estado, e distribuídos para quem necessita por meio do Departamento de Assistência Social, Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e demais entidades colaboradoras.

Pode-se doar qualquer tipo de roupa, desde que esteja limpa e bem conservada, além de cobertores e calçados. “As peças com maior necessidade são calças masculinas, meias e roupas para bebês”.

Parceiros

A Campanha do Agasalho conta com vários parceiros que ajudam a promover e arrecadar roupas na cidade. Para o 1º sargento Cristiano Carvalho, chefe de instrução do Tiro de Guerra 02-036, é uma oportunidade de conscientizar os jovens da importância de ações sociais como essa. “Eles convidam os pais, os amigos a participarem e nós temos um ‘Dia D’, em que nós saímos pelas ruas e fazemos essa coleta de casa em casa. Isso é importante porque eles se integram à sociedade com essa ajuda”, afirma.

Wildenir Silveira, sargento do Corpo de Bombeiros, destaca a eficácia de unir diferentes instituições em prol da causa. “Uma pessoa só, fica difícil, porém juntando várias entidades a gente consegue um número bem maior de doações e atingir o máximo possível da cidade”.

“O jovem ganha a consciência da doação, não só fazendo a limpeza no armário dele, junto da mãe e do pai, mas também arrecadando nas outras casas”, diz José Carlos Gallego, chefe do Grupo Escoteiro Marechal Rondon. “Um jovem do escoteiro tem a convivência com o jovem do DeMolay, com o pessoal do Tiro de Guerra, com quem têm proximidade de idade, tem todo esse envolvimento”.

Pontos de arrecadação

 

  • Prefeitura
  • Câmara Municipal
  • Departamento de Assistência Social
  • Escolas municipais, estaduais e particulares
  • Unifae
  • Unifeob
  • Tiro de Guerra
  • Policia Militar
  • Corpo de Bombeiros
  • Delegacia Seccional
  • Associação Comercial e Empresarial (ACE)
  • Sabesp

 

Pontos de distribuição

Assistência Social (área central e rural): segunda, quarta e sexta-feira, das 8h às 10h30 / 13h às 15h30 – R. São João, 322 – Centro

CRAS Nova República: terça-feira, das 13h às 16h, e sexta-feira, das 8h às 10h30 – R. Monsenhor João Ramalho, 587 – Nova República

Proteção Básica Resedás: segunda-feira, das 8h às 10h30, e quarta-feira, das 13h às 16h – R. Alfeu Doval, 220 – Parque dos Resedás II

Sistema de Zona Verde terá mesmo valor do serviço atual

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O sistema de estacionamento rotativo Zona Verde está programado para entrar em operação a partir de 17 de maio no entorno das ruas da Santa Casa Dona Carolina Malheiros com as mesmas tarifas aplicadas no serviço de Zona Azul. A Estapar Estacionamentos, por meio da concessionária Hora Park, que administra o sistema na cidade, venceu a ‘queda de braço’ com a Prefeitura de São João e manteve os valores.

A reportagem do O MUNICIPIO apurou que a empresa não cedeu ao que fora pactuado inicialmente com o Executivo – de manter para a Zona Verde (e expansão da Zona Azul) a tarifa atual, com o dobro do tempo.

Ficou mantido o valor de R$ 1,20 (por 30 minutos de estacionamento); R$ 1,50 (45 minutos); R$ 1,80, por uma hora; R$ 2,10 (duas horas); apenas acrescentado o período de três horas (por R$ 2,50) e quatro horas (a R$ 3); e mantidos os R$ 4,20 no pós-utilização.
A tarifação do serviço entrou em vigor a partir da data de publicação na edição nº.: 685 do Jornal Oficial do Município, de 3 de abril de 2018, por meio do Decreto nº.: 5.928, de 29 de março de 2018.

“A empresa combinou uma coisa, utilizar o mesmo valor pelo dobro de tempo, mas depois não aceitou. Só ficará mais atrativo para o usuário a partir de duas horas”, comentou coronel Ademir Aparecido Ramos, chefe da assessoria de Trânsito e Segurança da prefeitura.

INSTALAÇÃO
Quanto à instalação do sistema, a gerência da Hora Park pediu, em ofício, 45 dias de prazo para colocá-lo em funcionamento, contado a partir da publicação do Decreto em 3 de abril. Portanto, em 17 de maio.

Um acordo entre a prefeitura e a empresa prevê, ainda, que a Hora Park revitalize toda área de Zona Azul no município a partir de 6 de maio, sob pena de multa. O pacto foi celebrado na semana passada entre representantes da empresa e do Executivo.

“A revitalização já deveria ter sido feita em julho de 2017. Na última reunião, na quinta-feira (12), pediram um prazo de 20 dias. Agora, a Hora Park deverá revitalizar toda a rede da Zona Azul na cidade com a manutenção de parquímetros e a sinalização de solo, sob pena de multa”, afirmou Ramos.

LOCAIS DEFINIDOS
Pelo Art. 2º do Decreto, ficou instituído tempo de uso diferenciado (Zona Verde) na rua Conselheiro Antonio Prado, entre a Padre José e a rua Carolina Malheiros; rua Cel. Ernesto de Oliveira, entre a rua Cel. José Procópio e Carolina Malheiros; e rua Carolina Malheiros, entre a avenida João Osório e a rua Bernardino de Campos.

TERESIANO VALIM
Também entrou em vigor no inciso XXII, do Art. 1º do Decreto nº.: 5.928, que a avenida Teresiano Valim, entre a praça Cel. Joaquim José e a rua Gabriel Ferreira, contará com o sistema de Zona Azul Digital de ambos os lados.

ESTAPAR
A empresa Estapar Estacionamentos foi procurada pela reportagem, mas não respondeu até o fechamento desta edição.

Fonte: O Município

‘Novo CIC’ deve ser inaugurado em junho

FOTO1.jpg

As obras dos novos ginásios do CIC devem ser concluídas até o final de maio e a Prefeitura de São João prevê iniciar atividades nos complexos esportivos já no mês de junho.

A informação foi anunciada pelo diretor de Esportes, Rodolfo Herrera Felipe, durante o programa semanal da administração municipal transmitido pelas rádios da cidade e confirmada pelo O MUNICIPIO.

De acordo com Rodolfo, além dos dois novos ginásios – um destinado para Ginástica Artística e outro para prática de Handebol e Futsal -, a nova área administrativa que abrigará o Departamento de Esportes também possui a mesma previsão de entrega e início de funcionamento.

“Os ginásios e a parte administrativa estão prestes a serem entregues. Percebemos que o trabalho de finalização está sendo rápido e a expectativa é que a partir de junho possamos realizar atividades nesta nova área”, destacou o diretor de Esportes.

NOVOS GINÁSIOS

Em relação aos novos ginásios, Rodolfo revelou que competições oficiais poderão ser realizadas em ambos os complexos e classificou a estrutura do espaço destinado para Ginástica Artística como uma das “melhores do Brasil”.

“Estamos preparando um ginásio para receber diversas categorias dentro da ginástica artística e com certeza está entre os melhores do Brasil devido à estrutura pensada para ele. Assim como o ginásio para prática de Futsal e Handebol. Ele possuirá uma quadra com medidas oficiais, quatro vestiários e arquibancada. Estamos muito contentes com o resultado que estamos vendo e, assim que tudo for finalizado, competições oficiais poderão ser recebidas em todas as dependências do CIC”, descreveu.

EM FUNCIONAMENTO

Ao mesmo tempo que a nova parte do CIC passa pelos últimos ajustes antes de ser finalizada, diversas atividades estão à disposição dos sanjoanenses e já são realizadas no antigo ginásio, apelidado popularmente por ‘tartarugão’. Nele, Rodolfo Herrera Felipe aponta que ocorrem aulas de Judô, Vôlei, Basquete, Tênis de Mesa, Ginástica Artística e Dança.

Aulas de natação também começaram a ser realizadas no complexo esportivo; além de parcerias que foram firmadas com projetos sociais para treinamento e competições.

“Firmamos parceria com o Projeto Jorge Abbud de Natação, que utiliza as nossas piscinas para treinamento. Eles nos representaram em algumas competições e trouxeram diversas premiações para a cidade”, destaca o diretor.

Para utilizar as piscinas basta obter a carteirinha e fazer o exame médico obrigatório. Ambos podem ser feitos no próprio CIC e liberam o uso de todas as piscinas públicas de São João, que estão à disposição de quarta-feira a domingo, das 8h às 11h e das 13h às 17h.

Fonte: O Município

Terremoto na Bolívia faz prédio da Câmara de São João tremer

terremoto-696x418

Um terremoto de magnitude 6.8 com epicentro na Bolívia, na manhã da última segunda-feira (2), teve diversos reflexos no Brasil.

Em São João da Boa Vista, o tremor de terra foi sentido pelos funcionários da Câmara Municipal. Flávia Lemes Gamba, telefonista do local, disse que no segundo andar, onde trabalha, a cadeira dela começou a tremer. Já no terceiro andar do prédio, conta ela, até mesas tremeram.

Segundo José Antônio Ferreira, o Biá, supervisor legislativo, essa não é a primeira vez que o prédio da Câmara sanjoanense é atingido por tremores. Ele lembra que, em junho de 2003, um terremoto com epicentro no Chile fez a Câmara tremer bastante, tirando até mesas do lugar.

Já o tremor de terra da última segunda foi sentido em outros diversos locais do Brasil, inclusive em cidades próxima a São João da Boa Vista.

Pelo menos dez edifícios no centro de São Carlos foram atingidos pelo tremor. De acordo com o coordenador da Defesa Civil da cidade, Pedro Cabalero, o abalo foi sentido nos edifícios mais altos. “No centro da cidade temos 62 prédios de 15 andares e, em pelo menos dez deles, tivemos ligações comunicando que sentiram os abalos e alguns deles foram evacuados pelos próprios habitantes”, afirmou.

A Defesa Civil avaliou os prédios e nenhum teve danos. O abalo não foi medido por instrumentos em São Carlos, mas como as pessoas sentiram as construções tremerem, Cabalero disse que ele deve ter sido de 2 ou 3 na escala Richter. “É um evento muito raro porque estamos em cima de uma placa de basalto, mas que se confirma pelo número de relatos”, declarou.

Os abalos também foram sentidos na Avenida Paulista, em São Paulo, Santos, Marília, em Uberlândia (MG), no no Paraná, no Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.
Segundo o Observatório Sismológico da Unb (Universidade de Brasília), o tremor foi mesmo reflexo do terremoto de magnitude 6.8 na Bolívia.

BOLÍVIA
Um terremoto de magnitude 6.8 com epicentro na Bolívia aconteceu na manhã desta segunda-feira (2), segundo o USGS, o serviço geológico dos EUA.

O tremor teve epicentro no sul boliviano, a 13 km de uma localidade chamada Carandayti, e a uma profundidade de 557 km. Segundo o jornal local “El Deber”, pela força do abalo, ele foi sentido também em regiões mais ao norte do país, como Cochabamba. A região do epicentro é próxima do norte paraguaio.